quarta-feira, 11 de março de 2009

Justiça x mídia

Mais uma vez a questão da mídia entra em minha agenda de discussões e abordagens no blog.
Só que dessa vez é em relação ao caso Sean.
A bomba estourou esse mês, no Brasil, mas o caso é meio antigo e já abordado há bastante tempo lá, nos Estados Unidos. Por quê? Seria porque somos muito atrasados?
Nunca!
Existe algo chamado internet e meios de comunicação velozes o suficiente pra acompanhar tudinho em tempo real, e ninguém é burro pra discordar disso. É fato. Ponto.

O que aconteceu, na verdade, é que a justiça brasileira (a tal da justiça brasileira) tinha impedido a imprensa (também brasileira) de fazer qualquer tipo de citação ou referência ao caso do menino. Enquanto isso, nos EUA, o pai biológico era apoiado massificamente pela imprensa e pela população que aclamava (e aclama) justiça, através da criação de sites e doações. Pessoas vestidas em camisetas com a foto estampada do garoto...
A proibição da justiça brasileira ainda existe (embora eu prefira chamar isso de censura prévia), mas a imprensa não conseguiu segurar a onda e "deu com a língua nos dentes". A revista Época foi mais ousada e publicou na capa, a foto do menino (até então exibida com o rosto desfocado).
Veja foto abaixo

Não me importaria se fosse só uma briga de família, mas já é um caso de diplomacia entre o País governado por Lula e o governado por Obama. E isso a mim interessa muito!
Afinal...merecíamos ficar alheios a esse tipo de acontecimento?
A imprensa brasileira acertou em "soltar o verbo"?
A justiça brasileira deveria censurar (mesmo não podendo, constitucionalmente)?

Bom, o meu questionamento não é em relação a quem deve ficar com Sean, mas sim sobre a questão da imprensa. Fui muito parcial, mas foi de propósito!
Aff...
Até mais.





5 comentários:

  1. Muito bom tema, Sayonara!
    Não acompanhei o caso, mas presumo que existam 2 aspectos distintos: da liberdade de imprensa e do sigilo de justiça (que pode ser legal e ético em casos concretos).

    Quero crer que a decisão da justiça brasileira tenha sido tomada em bases legais, provavelmente o Estatuto da Criança e do Adolescente, o que nos colocaria, na verdade, em termos éticos e civilizatórios, à frente do ocorrido nos EUA.

    Mas, em geral, concordo com as conclusões implícitas na sua postagem; acho melhor ampla liberdade de imprensa que depender da interpretação de um juiz qualquer acerca do que se deve ou não noticiar.

    ResponderExcluir
  2. rm...ki bom ter comentado!
    Mas quanto ao sigilo de justiça, concordo. O que não concordo é a imprensa brasileira ser vetada de falar sobre isso e a imprensa americana ter total liberdade de abordar o que quiser, quando quiser, como quiser!
    Se for pra ter cuidado com a identidade da criança...que essa identidade seja preservada em qualquer parte do mundo.
    E se for assim também, preservemos tooooooodas as crianças que são alvos de notícias diariamente na mídia.

    Obrigada pela visita, viu?!
    Apareça sempre!

    ResponderExcluir
  3. Censura Nunca Mais!!!

    Não, não, a censura é CRIME.
    Censura é sinônimo de ignorância, é tudo que leva ao atraso, até à morte. quando escuto a palavra CENSURA, sinto um sentimento mofino de morte no meu peito.
    Que Justiça foi essa que foi Inconstitucional? O juiz ou juiza que censurou a imprensa deve é SER EXONERADO!

    ResponderExcluir
  4. gostei do seu blog... isso prova que tem gente pensando em muitos recantos do país e que ainda podem brotar por aí jornalistas com consciência e bom texto...apareça sempre lá na minha casa roxona... gracias por sua atenção
    bjs

    ResponderExcluir